quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Simplesmente Blues






















Acho engraçado quando vejo alguém dizer que curte Blues. Já fico temeroso. Logo penso: ih lá vêm. Geralmente o sujeito vai direto dizendo que Robert Johnson é o maior Blues Man que existiu. E pronto é isso.

Robert Johnson é a história do Blues e ponto final ? Como essa conversa nunca tem um final feliz, eu prefiro deixar claro que isso é apenas um ponto de vista. Neste caso o meu ponto de vista. Aviso ainda que Robert Johnson é apenas uma âncora que encontrei para o desenrolar do meu louco pensamento.

Continuando. Eu diria que, apesar de achar Robert Johnson o máximo, o Blues é bem mais complexo do que parece.

Robert Johnson surgiu na década de 30 e num curtíssimo espaço de tempo criou uma obra que foi capaz de influenciar gerações e gerações no meio musical. A vida de Robert Johnson ainda é um grande mistério. Ele teria gravado apenas 29 canções. Dizem que morreu envenenado por um marido raivoso de uma de suas amantes. E ainda temos o famoso pacto com o Diabo diante da encruzilhada, que teria promovido a sua fama e sucesso no Blues. Ele talvez seja o mais famoso nome do Blues mundial. Enfim, todo mundo já esta cansado de saber disso. De qualquer forma, Robert fez parte de um segmento maior gerado pelo fator influência.

Talvez não seja possível descobrir a origem do Blues. Ou seria possível? Sabe-se que o gênero surgiu no Sul dos Estados Unidos influenciado pela cultura Afro-americana, através dos escravos. Estes criaram a linguagem musical. É a arte sem querer, que foi feita nos momentos de sofrimento e diversão dos escravos negros. Sentimento exprimido através da voz e do instrumento musical. É uma música sincera, que fala de amor, de sofrimento, de felicidade e outras tantas coisas. Uma linguagem que permitiu formas de se comunicar em meio à escravidão.

Voltando ao fator simplicidade. Eu discordo. Acho que a simplicidade embutida no estilo é tão complexa, que se torna praticamente impossível reproduzir o som que aquelas pessoas tocavam e cantavam antigamente. O Blues é simplesmente uma linguagem maravilhosa, simples de ouvir, porém dificílima de se executar. Foi capaz de atravessar décadas e décadas, através de outras linguagens que foram promovidas e influenciadas do próprio Blues.

Tantos clássicos foram regravados por bandas de Rock . Caso do Led Zeppelin por exemplo.

Os Rolling Stones, uma das bandas mais famosas do Planeta, tem seu nome ligado a uma composição feita por um grande Blues Man chamado Muddy Waters. Foi ele quem compôs à música Rolling Stones. Que consequentemente daria o nome para uma das bandas mais conhecidos no mundo do Rock. Ah isso todo mundo já sabe também.

Fico imaginando, bandas como os Rolling Stones, Led Zeppelin, Beatles, Pink Floyd e Cia, escutando Blues, assim como eu os escutava na minha idade adolescente. O poder da música e sua sempre influente propagação.

O Blues Rural torna-se eletrificado com a migração do Delta do Mississipi para Chicago. Torna-se revigorado com a ajuda de muitos músicos Ingleses. Torna-se conhecido pelo mundo todo. Mesmo que através da fama e imagem de poucos representantes do estilo. Toma outras formas e viaja através de outros estilos musicais. Atravessou mais de um Século de história musical. Há relatos do estilo no início do século 20. E eu diria ainda mais, quem tocava Blues por volta de 1900 escutou e aprendeu o estilo no século 19.

Chegou até no Brasil ! E acreditem se quiserem, mas há quem diga que Robert Johnson foi o cara do Blues e Ponto Final.

3 comentários:

társio disse...

belissimo texto, man! É o que eu penso... o poder do blues vai além de seus ícones.

Caio disse...

Belo texto mesmo! O blues é inexplicável.

brenopadua disse...

Penso que o Robert Johnson tenha ganhado essa notoriedade por ter influenciado fortemente os músicos (brancos) de rock. Eu diria até que sua influência no universo da música negra de sua época foi muito restrito. Era um herói local. Não como Big Bill Broonzy, que teve uma trajetória muito mais significativa do ponto de vista do legado e influência na música negra. Johnson ganhou notoriedade nos anos 60, quando alguém, por acaso, se deparou com sua obra e, perplexo com a sofisticação de composições e arranjos, percebeu que alí estava um anônimo que poderia virar celebridade. Dai pra cair nos ouvidos dos jovens roqueiros, foi um passo. Outros como W C Handy, o próprio Broonzy, Howling Wolf, SOnny Terry, etc. tiveram, por outro lado, uma forte influência musical durante o periodo em que viveram. Não quero tirar o mérito de Johnson, mas apenas situar sua diferença e distinção em relação a outros heróis do blues. Afinal, por mais que isso seja um clichê batido, Johnson é Johnson...